terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Derrotismo masculino vs Persistência feminina

Já assisti a isto milhares de vezes. Com ex-namorados, com amigos, nas minhas relações, nas relações dos outros, e até em escolhas profissionais. Um homem quando vê um obstáculo e se apercebe que o caminho não augura nada de bom, resigna-se e baixa os braços. Corta o mal pela raíz e convence-se que está a fazer a coisa certa. Escolhe sofrer menos no presente para não sofrer mais no futuro. Nós, por outro lado, vamos até ao fim do mundo pela coisa mais improvável. Custe aquilo que custar.

24 comentários:

Ruben Alves disse...

E o resultado final acaba por ser o mesmo... Perde-se em ambos os casos :-/

Belota disse...

Ora nem mais. Equilíbrio que era o que se queria, nada!

Life in Polaroid disse...

É verdade nunca baixamos os braços, mesmo quando sabemos que não vai levar a lado nenhum!! A nossa persistência não será um medo de perder ou mesmo orgulho?
Pensava que era unica maluquinha mas tou a ver que não!! ufa .. afinal só sou mulher ahaha

AnonimousLady disse...

Concordo e subscrevo, é nessas coisas que me aptece espancar o meu namorado e acordá-lo pa vida mete-me uns nervos quando começa logo a desistir de alguma coisa! lol enfim tadinho é homem xD lool

Anónimo disse...

vocês chamam-lhe desistir...eu chamo-lhe seguir em frente...hehe

é o pragmatismo masculino, se o veado é grande, caça-se o Bambi, é mais seguro e ninguém passa fome à noite.

doutorphil....bambi killer

Pérola Negra disse...

O anónimo explicou muito bem o pensamento dos homens. Está provado que raramente largam o certo pelo incerto. Preferem o certo mesmo que seja mais fraco.
Mas e se o incerto for mesmo muito melhor? E se houver hipótese de caçar mesmo o veado? Quem não arrisca...

Belota disse...

Ah pois é, mas lá está, isso já é pensamento feminino... O esforço para algo que, mesmo incerto, possa valer muito mais a pena.

Anónimo disse...

pragmatismo masculino vs masoquismo feminino.

Anónimo disse...

Eis a lógica por detrás do machame, por vezes ser visto
com cada camafeu.
Acreditem meninas, que perante o certo e seguro, não
há que falhar e no fim a recompensa é sempre maior, pois elas (camafeu) são muito mais generosas, e deram
metade do trabalho e darão metade das chatices.

LÓGICA DO MENOR ESFORÇO

muitas vezes observada em leões, onde as leoas caçam e o leão espera pela janta, e se uma se porta mal, mata-se os filhos para que esta lhe dê nova prole e assim continue a trazer a janta.

StellaMaris disse...

Tal e qual......

Quel disse...

Digamos:
Lei do menor-esforço VS Lei do Pode-ser-estupido-mas-desistir-é-que-nao

Chamem-nos parvas, mas desistentes é que nao ;)

(alem da estupidez.blogspot.com)

Belota disse...

"pragmatismo masculino vs masoquismo feminino"??

Isto só pode ter sido escrito por um homem. Por alguém que não entende mesmo!

Belota disse...

Pragmatismo tem que ver com prática, alguém que escolhe aquilo que é mais prático em detrimento do que pode ser melhor, não mostra grande inteligência de qualquer tipo. Mostra preguiça.

Anónimo disse...

pois!!!mas e quando se resignam ao silencio em vez de acabar tudo????

A. disse...

É uma virtude das mulheres: nunca desistir à primeira, à segunda ou à terceira daquilo que querem e gostam. Sofrer todos sofremos, homens ou mulheres, antes ou depois... os homens têm sempre tendência a desistir baseados num sofrimento imaginado que surge na antecipação de qualquer coisa boa que pudesse acontecer. Mas as mulheres não são de ficar a pensar no que podería ter sido, no "e se eu tivesse tentado?". Nós tentamos. Será por isso que os homens desistem de nós mesmo quando sabem o que nós, mulheres, queremos? Porque sabem que nós vamos à luta até termos o que queremos... hum, será?

Francisco o Pensador disse...

Belota, discordo que ser-se pragmático não demonstre grande inteligência de qualquer tipo.
Ser pragmático é acima de tudo viver-se para o dia de hoje, levando a vida baseado naquilo que é seguro por se encontrar bem visível/definido ao pensamento humano.
É agir tomando em consideração os efeitos e conseqüências de uma idéia, na sua eficácia, no seu êxito. Assim sendo, ser-se pragmáctico poderá ser considerado o oposto de ser-se sonhador.
De que adianta defender que uma ideia seja muito boa, se após ter sido colocada em prática, a mesma não demonstra sinais visiveis do seu valor? Os factos são a única prova indiscutível do valor de tudo.
Defendo que o pragmatismo demonstra grandes niveis de inteligência na medida em que consegue afastar o ser humano dos dogmas éticos e religiosos.
E não é uma prova de inteligência sustentar a sua vida naquilo que já deu provas de ser eficaz, com resultados garantidos?
Optar pelo seguro em detrimento do incerto?
É que o ser humano conta sempre em receber o melhor da vida, no final feliz...mas a grande maioria das vezes, acaba por levar com o pior nas fuças.
Mas será que o mal só acontece aos outros?
Quem pensar assim, que não seja pragmático e que se atire de cabeça, mas que não venha chorar em seguida.

E não te esqueças também Belota, que tudo o que seja exagerado acaba por se tornar prejudicial/nefasto ao ser humano.
Até mesmo a inteligência...

:)

Francisco o Pensador disse...

Sobre o post...prefiro trocar o termo "pragmático" por "realista"...

Se a gente desiste à primeira, é porque ganhamos imediatamente consciência de que o prémio final não justifica o eventual esforço aplicado.

Belota, tens que tomar em consideração as diferenças entre os sexos.
Tenta imaginar uma jarra.
Para as mulheres a jarra fica mais valiosa com uma rosa dentro dela, e já por isso, vale a pena labutar o dobro para conseguir comprar essa dita rosa ou até correr milhas para encontrar uma no meio dos campos.
Mas para os homens, mesmo com um ramo de rosas a jarra continua a valer o mesmo.

Ponto.

Dani disse...

Tenho a dizer que há homens que em certas coisas e situações são como as mulheres... e por consequencia, que há mulheres que muitas vezes parecem homens nisso...
Mas sim, a verdade é essa no geral

Anónimo disse...

Conheço exemplos de cada caso de um lado e do outro. Não é assim tão linear, como homem=>derrotismo, mulher=>persistência. Nuns foi ele que desistiu, noutros foi ele que persistiu. Depois de uma desistência brusca e sem pré-aviso da mais-que-tudo, foi ele que persistiu e tentou resolver as coisas, durante muito tempo, pq não houve nenhuma razão. A razão era "porque sim", o q diga-se de passagem não conforta a outra metade quando se está há muito com uma pessoa, com a vida orientada e onde tudo parecia corria bem. Depois de muito tempo de persistência as coisas não ficaram melhor, ptt aqui o "derrotismo masculino" tinha sido um caminho bem melhor! :|

Menino da Mamã disse...

Discordo totalmente. Por mim, antes quebrar que torcer, meaning, mesmo que todos digam não e for o único a dizer sim, vou até ao fim.

Quer seja para me dar razão, quer seja para perceber que, afinal, eram eles que tinham razão.

E atesto com outros inúmeros casos de amigos meus.

Talvez andes é a dar-te com pessoas que apenas funcionem assim.

No fundo, no fundo, isso não é regra ;)

Fatyly disse...

Subscrevo as palavras de "Francisco o Pensador" e concordei ainda mais quando alterou de "pragmático por realista", porque somos diferentes, embore ache os homens mais realistas e as mulheres mais persistentes "vamos até ao fim do mundo pela coisa mais improvável.Custe o que custar" o que não significa que eles também não o façam...mas nesse "percurso" perdem muito menos tempo com "banalidades" do que as mulheres.

Adorei ler esta reflexão e os comentários (que leio sempre)

Anónimo disse...

É sempre este o risco das generalizações... E pior do que tudo é ver o universo em função do espaço e dos seres que nos rodeiam.
A verdade é que nós somos fruto das nossas experiências, aprendizagens e do que aprendemos e conhecemos com quem nos rodeia. Nessa medida, defenderemos sempre uma perspectiva em função de tudo isto (que pode ser positiva ou negativa). O que é perfeitamente humano. Mas é uma perspectiva...relativa.
O erro, quanto a mim, está em considerá-la como verdade absoluta.
Temos direito a ser subjectivos (como dizia o poeta espanhol José Bergamin: "Como não sou objecto, não posso ser objectivo; como sou sujeito tenho de ser subjectivo!") mas seria bom termos consciência do que isso significa: é uma perspectiva...e não uma verdade absoluta.

Beijos Bolota!

Paulo disse...

Querem entender as mulheres? Eis o verdadeiro guia das mulheres para totós:

http://questionandofeminino.blogspot.com

;)

Daniel Duarte disse...

Cara Belota

Não concordo com este post! Vou-te falar no meu caso.

Neste momento o meu coração está todo partido, por nunca ter desistido "daquela pessoa"! Andei meses, lutei, caí, levantei-me, chorei, fiz surpresas, tentei fazer surpresas, chegava a casa mal, não via um palmo à frente de tanto chorar, punha-me a escrever textos sobre a minha dor. Nunca desisti "daquela pessoa". Até um certo ponto em que sim, consegui entrar naquela pedra de coração, que era tudo para mim! Gostamos bastante de nós até! Mas neste momento sinto-a mais longe que tudo, não consigo explicar. Sinto que, aquilo por que lutei, não está a ter o sabor que eu queria! Sinto-me perdido... Ultrapassei muitos obstáculos, e o caminho estava cheio de pedras. Não me resignei, nem tão pouco baixei os braços. Escolhi sofrer no presente para tentar ser feliz no futuro. Fui até ao fim do mundo para conquistar "aquela pessoa", a pessoa mais improvável. Não cortei o mal pela raiz, até "o reguei". Vocês têm-nos na mão e sabem disso. Quando nos estão a perder, puxam-nos, e vocês sabem que sempre vai ser assim, porque o homem não sabe lidar com, nem usar, os sentimentos e emoções que tem. Julgo ser essa a grande diferença entre os Sexos.

Não, não concordo com este post!

Parabéns pelo Blog.